a primeira

Da beira do precipício chamado paixão,

eu me jógo;

E jógo o jôgo para que ele me léve;

Eu….léve;

A queda flutuante que envolve o corpo me dá vida;

E como um suicida cheio de vida,

eu vôo sentindo todos os momentos;

Mergulho de cabeça,sem medo;

Por ter de me jogar novamente.

Em homenagem aos meus grandes mestres, Vinicius e Pablo,obrigado senhores.

Anúncios

Uma resposta em “a primeira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s